Beleza Espiritual

Somos Todos Médiuns!

Somos Todos Médiuns!

Somos todos médiuns

A comunicação é a base de toda troca. Ser médium é ser um comunicador entre planos e consciências.  Essa comunicação ocorre em diferentes níveis e dependendo da sensibilidade de cada um ela pode ser bem sutil ou bem expressiva.

Somos todos médiuns em potencial, porém há um longo caminho no desenvolvimento das percepções e também diversas vertentes.  Apesar de estar associada a religiões, a mediunidade é uma faculdade que não depende de crenças.  Normalmente as pessoas procuram uma religião ou caminho filosófico quando sentem necessidade de explicações sobre sua vida (quem sou – da onde vim – para onde vou) ou quando, já conscientes da sua sensibilidade, querem auxiliar seu semelhante.

Somos Todos Médiuns!

Somos Todos Médiuns!

Geralmente quando os pais ou parentes próximos carregam o “DNA “ espiritual da hipersensibilidade fica mais fácil para a criança ou adolescente receber informações em casa  e optar pelo seu próprio caminho.  Entretanto, nem todos têm essa sorte e a mediunidade mal administrada pode trazer sérios problemas à vida do jovem.  A pressão é imensa nessa fase da vida e marcada por grandes transformações físicas e psicológicas: formação da personalidade; escolha de grupos sociais; descoberta sexual ; autoafirmação no seio familiar; e, o que é bastante frequente, a chegada do primeiro amor com todas suas nuances de felicidade e tristeza.

Somos Todos Médiuns!

Somos Todos Médiuns!

Tudo isso corrobora para a instabilidade emocional, abrindo portas para interferências espirituais.  O jovem, que é um médium em potencial, fica totalmente fragilizado e à mercê de forças exteriores.  Devido a esse estado de latência, que se assemelha a uma bomba relógio prestes a explodir a qualquer momento, o jovem pode facilmente cair nas ciladas do mundo das tentações.

Somos Todos Médiuns!

Desprovido de conhecimento e sem um norte, uma identificação na área espiritual, ele provavelmente irá se isolar em seu mundo interior ou incorrer nos vícios.  Álcool, cigarro, drogas, medicamentos que entorpecem os sentidos, agressividade espontânea, sexo desregrado, disfunções alimentares e insônia são acometimentos frequentes no adolescente que possui uma sensibilidade extra, porém em estado descontrolado.  Por vezes, esse choque “entre mundos” pode ser tão marcante que as consequências perduram para o resto de suas vidas sem nunca perceberem que estão sendo influenciados por energias externas.  Passam a ser sugados, ignorantes de uma situação que teve início na adolescência. O pior de tudo é que acabam assimilando características emocionais e/ou de formas pensamento acreditando ser inerentes a sua própria personalidade, quando não são.

Somos Todos Médiuns!

Somos Todos Médiuns!

Ter consciência de sua sensibilidade extra é o primeiro passo para a libertação e a chave para sair da passividade e reverter o processo, ou seja, tomar posse de si mesmo.  Dessa maneira, além de reconhecer suas funções natas sensoriais ele ainda pode fazer uso delas a serviço da humanidade em diversos segmentos.  A comunicação feita de forma correta só traz benefícios e trocas positivas, tanto para o médium quanto para o assistido.  Existem vários planos a serem acessados e ao buscar o autoconhecimento o jovem, com o tempo, aprenderá a se conectar e a detectar esses diferentes níveis.

Alguns vão para o caminho da escrita, outros preferem se expressar pela pintura, também há o caminho da cura, a interpretação de oráculos e muitos preferem trabalhar em silêncio, ou seja, usam seus dons mediúnicos em atividades do dia-a-dia  se aprimorando e ajudando as pessoas próximas.  O importante é se conhecer.  Tudo acontece de dentro para fora.  Quem não se conhece nunca chegará a conhecer o outro e estabelecer uma comunicação de trocas positivas, nem nesta dimensão nem nas outras.

Dricca Rhiel

Médium perceptiva especialista em oráculos e na arte da cura

Contato: 11-947577374

 

Beleza Espiritual

More in Beleza Espiritual